quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Subúrbio ferroviário



Por entre feirantes e apreços, a viagem segue, num ritmo próprio de quem aprendeu a se significar longe dos olhos para turista ver; de quem, na Bahia de ninguém, soube ser gente firme. Na viagem de trem, gerações esquecidas acompanham o brilho nos olhos da juventude encantada com a paisagem.

Fotos Subúrbio

3 comentários:

Roselí Nunes disse...

pensar letras
sentir palavras
a alma cheia de dedos

(Alice Ruiz)

Paula Borges disse...

o subúrbio tão esqucido pelo citadinos dessa salvador, ainda encanta . A viagem de trem é quase poética... é entrar e sair o tempo todo dos livros de jorge amado. o súburbio ainda tem muito a oferecer.

Ávila Ar disse...

Nada sabemos da alma
senão da nossa;
As dos outros são olhares,
são gestos, são palavras,
coma suposição
de qualquer semelhança
no fundo.
(Fernando Pessoa)