quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Cidade Baixa





Vista para o mar de todas as crenças,
mangues,
de povo negro
com orixá na cabeça,
circulando em vagões da cidade distante.

Foto: Lucas Reis

2 comentários:

Roselí Nunes disse...

Se cada dia cai
dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
Há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

(Pablo Neruda)

sérgio Bahialista disse...

Cidade que encanta
Suas janelas que nos levam ao infinito
Cidade, baixa na minha cabeça e tras lembranças das tardes com o poeta andarilho do Rio
Levai meus versos ao teu encontro
E dizeis se dormes com teu povo
Ou se acordaste?

Pois ela respira Zeca, sempre...

Inté + V!

Sérgio Bahialista